CONFIRA O VÍDEO

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

GUERRA, MEDO E OPRESSÃO ENTRE NAZARÉ E BELÉM - O CAMINHO DE MARIA ATÉ O NASCIMENTO DE JESUS



25/12/2013
Folha refaz trajeto que Maria teria percorrido antes do nascimento de Jesus
DIOGO BERCITO - ENVIADO ESPECIAL A BELÉM (CISJORDÂNIA)


Crianças árabes posam, em Nazaré, para uma fotografia. Nas cabeças inquietas, um chapéu em forma de árvore natalina. Elas aproveitam o dia para passear pelo cenário que a tradição cristã atribui à infância de Jesus.

Mas a reportagem não as segue pelas ruelas pelas quais caminham cantando. A Folha está em Nazaré para fazer o caminho bíblico entre essa cidade e Belém. É o trajeto que a tradição estabelece para Maria, antes de Cristo nascer.

Mas Maria, se decidisse fazer a viagem atualmente, teria de lidar com os desafios contemporâneos, distintos daqueles da Antiguidade. Hoje, essa estrada inclui controles militares e um caminho que, em tempos de ocupação da Cisjordânia, é em todo volátil e imprevisível.

O trajeto tem cerca de 160 quilômetros pela estrada que vai por fora dos territórios palestinos, em Israel, tomando menos de duas horas. Mas a reportagem leva, por dentro da Cisjordânia, todo o dia para repetir esse difícil caminho, entre viagens e entrevistas.



O ditado, entre palestinos, diz que Jesus teria nascido no muro que separa Israel da Cisjordânia. Cartões natalinos mostram reis magos impedidos de ir à manjedoura.

PARTIDA

A viagem começa no tradicional mercado de artesanato de Nazaré. Mercadores reclamam da falta de organização e de divulgação, que fazem desta importante cidade histórica um destino turístico pouco visitado.

< < Cidade de Nazaré

"No ano passado, a Prefeitura pagou pela viagem e pela acomodação", diz Margo Zeidan, que vende "tatriz", bordados palestinos. "Eles deveriam organizar melhor o Natal, para que essa não seja minha última participação."

A Maria inventada pela reportagem segue, depois de comprar um xale com detalhes de flores, para a periferia de Nazaré, onde toma uma xícara de chá com hortelã no restaurante Nostalgia.

A árvore de Natal, ali, é decorada com os nomes de vilarejos palestinos destruídos desde 1948, a data da criação do Estado de Israel.


"Se Maria viajasse hoje de Nazaré a Belém, ela veria os problemas pelos quais passamos", diz Sami Nsir, dono do estabelecimento. "Ela iria se sentir mal ao ver que as pessoas não se importam com a causa palestina."

Dali, a reportagem toma a estrada rumo a Belém. No trajeto, o carro é flanqueado pelas montanhas do vale de Marj Ibn Amr, inesperadamente verde após a neve.

ORIENTAÇÃO

Maria talvez se perdesse por ali. Não há placas indicando a cidade palestina de Jenin, assim como não há transporte público regular.


Ela também correria o risco de ter de encerrar sua viagem. O carro encontra o posto de controle de Gilboa fechado. Em contato com as Forças de Defesa de Israel, a reportagem descobre que o acesso de veículos está impedido devido a um embate entre Exército e palestinos.

A alternativa é contornar a Cisjordânia e procurar uma entrada aberta. A Folha chega a Rihan, também fechada, exceto para colonos. Mas, com a identificação de imprensa, indisponível a Maria, os portões são abertos, após 15 minutos de negociação.

A Maria fictícia chega então à cidade de Nablus.

Lá, o padre Johny Abu Khalil, do patriarcado latino, reclama: "Estou de saco cheio das permissões natalinas".

Sua paróquia tem 220 católicos. Todo ano, ele negocia com a administração israelense para que possam viajar a Jerusalém para o Natal.

"Israel quer que Jerusalém vire um museu e que a Igreja do Santo Sepulcro, onde Jesus morreu, seja a melhor discoteca do país", reclama.

Khalil não acredita que Maria tentaria ir a Belém hoje. Para ele, ela se contentaria com Jerusalém, se obtivesse uma permissão de viagem.

Na estrada para Jerusalém, o Sol se põe contra o carro, enquanto o rádio toca clássicos libaneses dos anos 80. Há um controle militar na saída de Nablus e outro na entrada de Jerusalém. Palestinos mostram os documentos e as autorizações aos soldados.

MURO

A entrada em Belém é feita pelo muro que separa Israel da Cisjordânia, hoje um mural para pichações e grafites, incluindo clássicos do britânico Banksy, como o que mostra uma garota revistando um soldado israelense.

A barreira fez murchar a loja de Claire Anastas, que vende artesanato diante da parede de concreto. Turistas desistiram de vir, afirma.

"Se Maria entrasse aqui, talvez não conseguisse sair", diz. Ela vende presépios com um muro no meio, em protesto.

O trajeto está quase no fim. A pé, teria levado dez dias. George Rashmawi, que organiza o caminho para peregrinos, afirma que é necessário desviar de assentamentos na Cisjordânia para evitar problemas com as autoridades israelenses. "A viagem fica mais longa", afirma.

Em uma loja diante da Igreja da Natividade, onde se crê que Jesus nasceu, Nadia Hazbun reclama do muro.

"É difícil para os turistas passar pelo muro, então eles não vêm. Na Europa, viajam pelo continente sem passaporte. Aqui, precisam passar pelas barreiras militares."

Ela dá de presente ao repórter um cartão natalino. Um papai Noel dando uma voadora na muralha que separa Israel da Cisjordânia.

"Maria nunca viria de Nazaré até Belém", diz. "Ela se recusaria a ver nosso povo em campos de refugiados."

<>

Do Blog Dezoito de Abril - REFLITAMOS

É concebível, nos dias de hoje, com tudo o que já sabemos e todos os valores que a nossa sociedade/humanidade já adquiriu, que um cenário desses ainda seja visto e vivido em nosso PLANETA ?

Perdoai-nos SENHOR - Nós continuamos sem saber o que fazemos.

SERVO LUIZ

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

FELIZ NATAL - MENSAGEM EM DOSE DUPLA


Algo por Eles Neste Natal

Compadece-te de todos aqueles que não podem ou não sabem esperar. Estão eles em toda parte...

Quase sempre são vítimas da inquietação e do medo. Observa quantos já transpuseram as linhas da própria segurança.

São casais que não se toleram nas primeiras rusgas do matrimônio e desfazem a união em que se compromissaram, abraçando riscos pelos quais, em muitas circunstâncias, cedo se encaminham para sofrimento maior;

são mães que rejeitam os filhos que carregam no seio, entregando-se à prática do aborto, recusando a presença de criaturas que se lhes fariam instrumentos de redenção e reconforto no futuro, caindo, às vezes, em largas faixas de doença ou desequilíbrio;

são homens que repelem os problemas inerentes às tarefas que lhes dizem respeito, escapando para situações duvidosas, sob a alegação de que procuram distração e repouso, quando apenas estão dilapidando a estabilidade das obras que, mais tarde, lhes propiciariam refazimento e descanso;

são amigos doentes ou desesperados que se rebelam contra os supostos desgostos da vida e se inclinam para o suicídio, destruindo os recursos e oportunidades que transportariam para a conquista da vitória e da paz em si mesmos;

são jovens, famintos de liberdade e prazer que, impedidos naturalmente do acesso a satisfações imediatas, se engolfam no abuso dos alucinógenos, estragando as faculdades com que o tempo os auxiliaria na construção da felicidade porvindoura.

Neste NATAL, façamos algo por eles, os nossos irmãos que ignoram ou que não querem aceitar os benefícios da serenidade e da esperança.

Pronuncia algumas frases de otimismo e encorajamento; escreve algum bilhete que os reanime para a bênção de viver e servir; estende simpatia em algum gesto espontâneo de gentileza; repete consideração e concurso amigo nos diálogos que colaborem na sustentação da paz e da solidariedade.

Não te declares sem possibilidade de contribuir, nem digas que tens todas as tuas horas repletas de encargos e serviços dos quais não te podes distanciar.

Faze algo, no soerguimento do bem.

Nas realizações da fraternidade, quem ama faz o tempo.

XAVIER, Francisco Cândido. Deus Aguarda. Pelo Espírito Meimei. GEEM.

<<>>

Prece do Natal

Senhor Jesus!..

Conhecemos os teus ensinamentos.

Auxilia-nos a cumpri-los.

Guardamos as tuas palavras.

Ampara-nos, a fim de que venhamos a traduzi-las em trabalho, no serviço aos semelhantes.

Legaste-nos o amor uns aos outros, por legenda da própria felicidade.

Guia-nos à prática dessa lição bendita, de maneira a que o nosso dia-a-dia se faça caminho de fraternidade e luz.

Senhor!.. Disseste-nos:- "dou a vós outros a minha paz" e tens mantido a tua promessa, através de todos os séculos da vida cristã.

Inspira-nos, por misericórdia, o respeito e a fidelidade aos teus designios para que não venhamos a perder a paz que nos deste, com a intromissão de nossos caprichos, na paz que nos vem de Deus.

Assim seja.

XAVIER, Francisco Cândido. Ação e Caminho. Pelo Espírito Emmanuel. IDEAL.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

PORTAL / ORÁCULO DE DELFOS - PENSAMENTO DO DIA - "CONHECE - TE A TI MESMO"


Nunca foi tão oportuno quanto agora o célebre aforismo do PÓRTICO DE DELFOS: "CONHECE-TE A TI MESMO." Através da auto-educação do sentimento é que o homem poderá engrandecer-se moralmente.Sempre é mais fácil descobrir e criticar defeitos, erros e deficiências em nossos semelhantes do que perceber, identificar e lutar contra os que estigmatizam o nosso caráter.

Indalício Mendes

Sobre o Pórtico de Delfos - Leia + Aqui

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O papa dos espíritas - ALLAN KARDEC - REVISTA ISTO É

chamada.jpg


Como o cientista francês Hippolyte Rivail se tornou, aos 53 anos, Allan Kardec, criador da doutrina espírita e fonte de inspiração do médium brasileiro Chico Xavier
Andres Vera
TRANSFORMAÇÃO
Autor de cerca de 20 livros e membro de nove sociedades científicas, o professor 
Rivail era um descrente. Até que passou a frequentar reuniões de “mesas girantes” 
na França e adotou o nome que o tornou célebre como o criador do espiritismo 

"A pessoa que estudar a fundo as ciências rirá dos ignorantes. Não mais crerá em fantasmas ou almas do outro mundo.” Era assim que o professor Hippolyte Léon Denizard Rivail, membro de nove sociedades científicas e autor de cerca de 20 livros sobre pedagogia na França do século XIX, resumia seu ceticismo. Intelectual respeitado, ele vivia em um universo no qual a ciência estava em ebulição, em meio a discussões sobre eletromagnetismo, motor a vapor e lâmpada incandescente. Apesar disso, tornou-se o criador da doutrina espírita tal qual ela está sistematizada hoje, que crê, entre outras coisas, na reencarnação e na comunicação entre vivos e mortos. É a história dessa transformação que está sendo contada no recém-lançado “Kardec, a Biografia” (ed. Record), do jornalista brasileiro Marcel Souto Maior. “Kardec precisou ir além da religião para criar uma doutrina inteira em apenas 13 anos”, diz o autor. De 1857, ano de sua conversão, aos 53 anos, a 1869, quando morreu de aneurisma cerebral, o francês já havia arrebatado sete milhões de seguidores no mundo. Um número impressionante para um planeta com então 1,3 bilhão de habitantes e comunicação precária. Os créditos da velocidade recaem sobre o próprio. “Ele alcançou isso porque dava tratamento científico aos estudos e sabia divulgá-los”, afirma Souto Maior.

KARDEC-01-IE.jpg


PASSE 
Sessão num centro espírita brasileiro: religião baseada nos livros de Kardec 

A aproximação do cientista com o espiritismo começou em 1855, quando um fenômeno agitava a França: as mesas “girantes”. Em reuniões fechadas ou salões públicos, participantes ditavam perguntas a mesas que se moviam, no que era identificado como um sinal de resposta, de mortos ilustres ou anônimos. Curioso, Rivail passou a frequentá-las em Paris. Procurava, antes, por cabos, roldanas e fios. “Estamos longe de conhecer todos os agentes ocultos da natureza”, escreveu. Convencido da boa-fé de alguns grupos, ele passou a crer. Tempos depois, um espírito contou que o conhecera na época do imperador romano Júlio César, em 58 a.C. Na época, Rivail chamava-se Allan Kardec – daí a mudança de nome. Os primeiros registros do professor sobre o espiritismo viraram “O Livro dos Espíritos” (1857). Ele assinaria também outras quatro obras básicas, a fundação da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas e a publicação mensal, ao longo de 12 anos, de uma revista – tornando-se, assim, o grande codificador da doutrina. Mas Kardec também presidia sessões espíritas e nelas presenciou, por exemplo, uma jovem de 12 anos receber, de lápis em punho, as palavras de Luís IX, rei da França morto seis séculos antes. Em outra concorrida reunião, o missionário e uma plateia embasbacada testemunharam um médium receber – e executar – uma partitura atribuída a Mozart.

IEpag54a56_AlanKardec__ok-2.jpg 
Para confeccionar sua obra, Souto Maior percorreu as bibliotecas de Paris em busca de material sobre o “papa dos espíritas”. Jornais de época mostram, por exemplo, a briga entre o criador do espiritismo e a Igreja Católica. Em 1861, em um episódio conhecido como “Auto de Fé de Barcelona”, foram queimados 300 livros espíritas na cidade espanhola. Entre eles estavam “O Livro dos Espíritos” e a tal sonata de Mozart. “Kardec era político”, diz Souto Maior. “Depois das brigas, ele media as palavras com a Igreja e sabia que isso traria publicidade.” A perseguição ao espiritismo não poupava o francês, médiuns admirados por ele ou mesmo seguidores novatos. Em 1865, dois jovens de Nova York voaram a Paris para mostrar “toques espontâneos de instrumentos musicais e transporte de objetos no ar.” Durante a exibição, um espectador invadiu o palco e revelou à plateia o truque: tábuas soltas e uma passagem secreta. A imprensa transformou o episódio em piada. Kardec se defendeu. Disse que o embuste não atingia a verdadeira ciência espírita, devota à evolução do ser humano. “Fora da caridade não há salvação”, escreveu. Insistentemente perseguido, começou a demonstrar sinais de exaustão e teve um problema cardíaco. “Daí em diante foi uma contagem regressiva até sua morte”, diz Souto Maior. Em seu túmulo, no Cemitério Père-Lachaise, em Paris, há hoje mais mensagens em português do que em francês. Por quê?
IEpag54a56_AlanKardec__ok-3.jpg 
A resposta está tanto no espiritismo como no povo brasileiro. Entre 2000 e 2010, o número de espíritas no País cresceu 65%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O espiritismo tem 3,8 milhões de fiéis autodeclarados, segundo o IBGE, e 30 milhões de simpatizantes, segundo a Federação Espírita Brasileira. “Nossa população aceita muito bem a ideia de vida após a morte”, diz Geraldo Campetti, vice-presidente da Federação Espírita Brasileira. Há um consenso entre biógrafos céticos, estudiosos da religião ou espíritas devotos: o kardecismo é praticamente uma criação brasileira. Três fatores ajudaram a disseminação da doutrina: o sincretismo brasileiro, que facilita a convivência entre crenças, a proximidade entre espiritismo e cristianismo e, por último, um certo médium de Uberaba, em Minas Gerais. “A repercussão alcançada por Chico Xavier é o maior fator da expansão dos espíritas no País”, diz o sociólogo Reginaldo Prandi, professor da Universidade de São Paulo (USP) e autor do livro “Os mortos e os vivos”. O espiritismo chegou ao Brasil em 1860 e ganhou relevância com Bezerra de Menezes, médico e político que, além de expoente da doutrina, traduziu obras de Kardec para o português. Mas coube a Chico Xavier, falecido em 2002, o fenômeno da explosão da doutrina a partir da década de 1970. O mineiro ostenta mais de 450 livros publicados. Sua biografia “As Vidas de Chico Xavier”, escrita pelo mesmo Marcel Souto Maior, vendeu mais de um milhão de exemplares e chegou ao cinema com direção de Daniel Filho. Fez 3,4 milhões de espectadores.
KARDEC-07-IE-2294.jpg
MESTRE 
O médium Chico Xavier, morto em 2002, 
grande difusor do espiritismo no País


Souto Maior diz que o roteiro cinematográfico da história de Rivail-Kardec já foi finalizado. “O filme deve ficar pronto no ano que vem.” Discípulo fiel do kardecismo, Chico Xavier costumava recomendar a todos as palavras de Kardec. Se o conselho valer para a nova biografia e o futuro filme, a história de Hippolite Rivail deve manter o fenômeno de público.

foto: Arquivo/ag. O Globo
Fontes: IBGE e Federação Espírita Brasileira
fotos: ROBERTO CASTRO/AG. ISTOÉ

domingo, 6 de outubro de 2013

PSICOGRAFIA - RELAÇÕES FRATERNAS


A Palavra do Cristo sobre trazer a divisão e a espada, não significa desunião e desamor.

Antes, é um chamado para que todos peguem suas diferenças e as coloquem abaixo da fraternidade, compreensão, caridade, tolerância, afeto e AMOR, que devem reger as relações dos cristãos-espíritas.

CASA, qualquer dimensão de CASA em que isso venha à faltar, é CASA sobre terreno movediço.

Abram seus corações, ponham vossas CANDEIAS no alto. 

O TEMPO na Terra passa rápido, é preciso aproveitá-lo nos passos do MESTRE JESUS.

UM GRANDE AMIGO DE TODOS

Psicografia: Servo
XXIX-IX-MMXIII
Coletânea dezoitodeabril

domingo, 8 de setembro de 2013

METRÓPOLE ESPIRITUAL - UMA REGIÃO IMENSA DE ACOLHIMENTO E ENCAMINHAMENTO DE DESENCARNADOS PARA O TRABALHO NA TERRA

PARA ALÉM DAS COLÔNIAS


Por três ou quatro vezes anteriormente a essa (que me lembre) estive em período de sono/sonho, em regiões onde se encontram Colônias Espirituais de Tratamento para os desencarnados do Planeta Terra. Em uma delas, tive a GRAÇA de ver minha mãe sendo tratada no Plano Espiritual, em local semelhante a uma enfermaria de Hospital como concebemos aqui na vida MATERIAL. Em outra, fui levado ao lado de fora de uma Colônia de acolhimento de recém desencarnados, onde, um amigo espiritual que não conseguia ver, apenas ouvia, me informou que se encontrava uma tia muito querida, que acabara de desencarnar. No local, uma série de construções, como se fossem pavilhões, eram iluminados como que por fortes explosões de LUZ, que, segundo o amigo que me conduzia, eram fruto da energia restauradora de pensamentos e preces endereçadas da TERRA pelos parentes e amigos dos que tinham feito a GRANDE VIAGEM. A terceira experiência, foi a de encontrar num "ESCRITÓRIO DE TRABALHO", de onde as Casas Espíritas são acompanhadas pelo Plano Espiritual, sendo aquele um dos responsáveis pelas Casas Espíritas do Rio de Janeiro, um companheiro de longa data, com quem muito aprendi e trabalhei durante vários anos. Fazia ele ali, e contarei detalhes em futura matéria, o mesmo que sempre fez quando encarnado, ou seja, TRABALHAVA PELO BOM FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO ESPÍRITA. 

Foram experiências emocionantes e belas, que mexeram, no sentido de fortalecer minha convicção de que A VIDA CONTINUA após a morte do corpo físico, plena, e sempre coberta pela MISERICÓRDIA de DEUS, através do trabalho de seus mensageiros de AMOR e PAZ.

Nesse post de hoje, porém, vou tratar de uma experiência de VISITA não a uma COLÔNIA ESPIRITUAL, mas, a uma SUPER COLÔNIA, ou METRÓPOLE ESPIRITUAL, tal a dimensão do LOCAL onde por pouco mais de minuto, estive durante o sono. O local é imenso, para onde se olhe são vistas construções de pequeno porte, tal como se fossem casas de apenas um andar. Algumas, poucas, se diferenciam no tamanho e na LUZ, mas, as demais, estão da mesma forma iluminadas. Do ALTO, de onde vislumbrava a imensidão daquele que seria se comparado com alguma coisa da TERRA, um imenso condomínio de casas, tipo vilas ou conjunto, era possível ver que FLUTUAVA acima da camada da atmosfera da TERRA, que, numa "transparência" de difícil colocação em termos de nossas palavras, podia ser vista azulada e brilhante, logo abaixo. 

A TERRA e o LOCAL DA METRÓPOLE estavam ligados por uma espécie de linhas de energia. Maravilhado e ao mesmo tempo surpreso e quase que paralisado, sentia que o meu GUIA ou CICERONE, como queiram, me conduzia, cruzando a extensão sem fim do local, como que num veículo movido por pensamento. Fiz, mentalmente, uma série de perguntas, para as quais obtive sucintas e agrupadas respostas.

Ali, nessa região, estão um incontável número de desencarnados do PLANETA. Irmãos nossos que, APÓS A MORTE FÍSICA, já estiveram em outros locais no Plano Espiritual, onde se harmonizaram, refizeram-se dos problemas mais GRAVES, agudos e crônicos do período de vida como encarnados, e que foram  para ali agora  transferidos, e já dão seus primeiros passos no trabalho do BEM. 

Então é ali o que chamamos de erraticidade ? - Quem sabe, de forma bastante aproximada, da parte da erraticidade em que se faz o balanço da vida passada, se aprende e produz no hoje e se prepara o futuro. E como trabalham esses irmãos no Plano Espiritual ? - Eis aí o motivo de sua vinda, como outros tantos já vieram e outros virão. Esses companheiros precisam quem lhes dê, no ambiente da TERRA, oportunidades de trabalho, visto que no estado de desenvolvimento espiritual que se encontram, é para isso que estão capacitados. Eles precisam, ao lado de trabalhadores encarnados, desenvolver tarefas de ESTUDO, de ASSISTÊNCIA AOS DOENTES, AOS FAMINTOS, precisam trabalhar no PASSE, EVANGELIZAR...

Ouvi então as últimas palavras do meu CICERONE, antes de despertar: _O objetivo desse encontro rápido, para a forma de contagem do tempo na Terra meu irmão, é o de lhe pedir, lhe fazer um convite, que participe de forma mais ativa no trabalho do BEM, na SEARA do Cristo, abrindo então MAIS espaço, para que um sem número de trabalhadores daqui de nossa METRÓPOLE, possam deles participar. E aí, aceita a fraterna PARCERIA ?

Despertei, como sempre após casos assim, com 'taquicardia' pela emoção, choro contido, mas, com uma serenidade e alegria, difíceis de serem traduzidos em palavras. A resposta ao "convite", eu preciso dar de forma prática.


Não encontrei nenhuma imagem que represente o que passei.
02:10 horas - 08/09/2013
S.L.P.O. 
Por; Servo Luiz
Todos os direitos reservados.

Reprodução autorizada com citação da fonte




quinta-feira, 29 de agosto de 2013

BEZERRA DE MENEZES VIVE ! A ELE NOSSA HOMENAGEM E CARINHO - 29 DE AGOSTO DE 1831 - 2013




“É indispensável manter o Espiritismo, qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista a poderes terrestres transitórios”.

Bezerra de Menezes

ORAÇÃO


VÍDEO YOUTUBE


domingo, 11 de agosto de 2013

49a. SEMANA CONFRATERNATIVA DOS CENTROS ESPÍRITAS DO MÉIER E ADJACÊNCIAS



PROGRAMAÇÃO




25 de agosto a 01 de setembro de 2013

Dia 25/08- Domingo-15:30 – Centro Espírita João Batista
Rua Dona Claudina,105 – Méier – tel 2289-4651
Apresentação do Coral do CEJB
Página do Jovem: Lucca Vasconcellos
Expositor: Jorge Portugal
Tema: "O CRISTO CONSOLADOR"

Dia 26/08- 2ª feira – 20 horas- Centro Espírita Nair Montez de Castro
Rua Vilela Tavares 173 – Méier – tel 2595-5462
Expositora: Mercedes Veja Villa
Tema: "O BEM E O MAL VIVER"

Dia 27/08- 3ª feira – 20 horas- Grupo Espírita Fabiano
Rua Paulo Silva Araújo, 52 – Méier – tel 2591- 1345
Expositora: Jurema Seckler
Tema- “ O VÔO DE UMA ALMA - A história da médium Yvonne Pereira”

Dia 28/08- 4ª feira – 20 horas- Agremiação Espírita Pedro II
Rua Lopez da Cruz, 192 – Méier – tel 2591- 1234
Expositor: Manoel Messias
Tema- “A EQUIPE CRISTÃ: cartas vivas de Jesus"

Dia 29/08- 5ª feira – 20 horas – Centro Espírita Amaral Ornellas
Rua Dr.Leal 76, Engenho de Dentro - Tel 2594- 6763
Página do Jovem Espírita : Thamires E. Duarte
Expositora: Ivone Maria de Freitas Tavares
Tema: "RAMIRO GAMA UMA DÁDIVA À EVANGELIZAÇÃO”

Dia 30/08- 6ª feira- 20 horas – Grêmio Espírita Nazareno
Rua Gustavo Riedel 63 – Encantado - tel. 3502-6917
Expositor: Alonso Santos
Tema: “ TRABALHOS IMEDIATOS”


Dia 31/08 – Sábado – 17 horas – Grupo Espírita Discípulos de Francisco de Paula
Rua Dionísio Fernandes, 280 - Engenho de Dentro 
Expositora: Jurema Gouveia
Tema : “Anália Franco”


Dia 01/09 – Domingo – 15:30 horas – União Espírita Suburbana
Rua Oldegard Sapucaia 13 – Méier – Tel: 2593- 3746
Apresentação do Coral das Vovós – “ Carlos Alberto Soares"
Página do Jovem: Thiago Queiroz
Expositoa: Lucy Barbosa
Tema: Fraternidade

Não perca esse importante Ciclo de Palestras e a oportunidade de conhecer diversas CASAS ESPÍRITAS, além de confraternizar com os irmão trabalhadores do Movimento Espírita.

terça-feira, 30 de julho de 2013

DIVALDO FRANCO NO RIO DE JANEIRO - PROGRAMAÇÃO DE ENCONTROS E PALESTRAS - AQUI !



17
 SÁBADO
                              JUIZ DE FORA
 MG
18
DOMINGO
13 ÀS 19 h
IV CONGRESSO DO CENTRO ESPIRITA JOANNA DE ÂNGELIS DA BARRA "PSICOLOGIA DA GRATIDÃO NO EVANGELHO DE JESUS"  CITY BANK HALL BARRA.                                  
 RIO
19
 SEGUNDA
20 h
SOCIEDADE HEBRAICA   APOIO 5º CEU/CEERJ
RUA  DAS LARANJEIRAS, 346  LARANJEIRAS
 RIO
20
 TERÇA
 19 h
MUSEU DO EXÉRCITO CONDE DE LINHARES
AV PEDRO II 383,  QUINTA DA BOA VISTA
APOIO: GRUPO ESPÍRITA CAMINHO DA ESPERANÇA
 RIO
22
 QUINTA
20 h
GRUPO ESPÍRITA ANDRÉ LUIZ
RUA JIQUIBÁ, 139 – MARACANÃ
 RIO
23
 SEXTA
20 h
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO  UERJ  CONCHA ACÚSTICA  RUA SÃO FRANCISCO XAVIER, 524
APOIO: GRUPO ESPÍRITA CAMINHO DA ESPERANÇA
 RIO
24
 SÁBADO
19 h
HOMENAGEM AOS 52 ANOS DO CENTRO ESPÍRITA LÉON DENIS
RUA ABÍLIO DOS SANTOS , 137  BENTO RIBEIRO
 RIO
25
DOMINGO
 9 h ÀS 17 h
23o FEIRÃO PRÓ-MANSÃO DO CAMINHO
COLÉGIO MILITAR - RUA SÃO FRANCISCO XAVIER, 267
APOIO: GRUPO ESPÍRITA CAMINHO DA ESPERANÇA
 RIO

domingo, 12 de maio de 2013

DIA DAS MÃES - 12/05/2013 - NOSSA HOMENAGEM - vídeo -

PARABÉNS MAMÃES DO MUNDO TODO !


ELA ENTREGOU SEU FILHO À CRUZ, PARA QUE UM DIA, OS NOSSOS FILHOS NÃO MAIS PEREÇAM PELA "ESPADA" DA VIOLÊNCIA, DAS DROGAS E DAS INJUSTIÇAS.


<>


segunda-feira, 6 de maio de 2013

PALAVRAS - PAULO DE TARSO - 06/05/2013 - EXCELÊNCIA DA CARIDADE



I Corintios 13

1- Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. 

2- E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse montanhas, e não tivesse caridade, nada seria. 

3- E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, de nada valeria !

4- A caridade é paciente, é benigna; a caridade não é invejosa; a caridade não se vangloria, não se ensoberbece, 

5- não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; 

6- não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
 
7- tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.

8- A Caridade jamais acabará; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; 

9- porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;
 
10- mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado. 

11- Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. 

12- Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
 
13- Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, e a caridade, estas três; mas a maior delas é a caridade.

domingo, 5 de maio de 2013

PALAVRAS DE EMMANUEL - 05/05/2013

Sem noção de responsabilidade sem devoção à prática do bem, sem amor ao estudo e sem esforço perseverante em nosso próprio burilamento moral , é impraticável a peregrinação libertadora para os Cimos da Vida.

Emmanuel - 03/10/1954 - Prefácio do livro nos Domínios da Mediunidade - Autor Espiritual André Luiz - Psicografia de Francisco Cândido Xavier 

sexta-feira, 26 de abril de 2013

O TEMPO - PALESTRA - 26/04/2013


Resumo: Palestra Proferida no Centro Espírita Discípulos de Allan Kardec
Rua Cabucu, 28 - Lins de Vasconcelos - Rio RJ.
Dia - 26/04/2013 - 19:30 horas

TEMA - O TEMPO

"TEMPO É TESOURO NO MUNDO,
QUE VERTE DO AMOR DE DEUS".

MEIA HORA

Ante a passagem do tempo,
Registra o valor do “agora”
Na bênção de meia hora,
Quanto bem a realizar!

Trinta minutos apenas
No espaço de cada dia
São plantações de alegria
Para quem busca ajudar.

Agora é a voz da coragem
Ao irmão que chora e luta,
Coração que pensa e escuta,
Podando aflição e dor!...

Em outro ensejo, é o socorro,
Que se oferece à criança,
Que vaga sem esperança,
A míngua de paz e amor.

Depois, o amparo ao doente
Em visita mesmo breve,
A página que se escreve
Para consolo de alguém!

O apontamento otimista,
A frase sincera e boa,
A conversa que abençoa,
A prece em louvor do bem!...


Meia hora – patrimônio,
De expressão indefinida,
Que o Céu nos concede à vida,
A todos, crentes e ateus!...

Irmãos, elevai o tempo,
Para o serviço fecundo,
Tempo é tesouro no mundo
Que verte do amor de Deus

Maria Dolores
Francisco Cândido Xavier

Bibliografia Consultada
Livro: Maria Dolores - Vinha de Luz - O Livro dos Espíritos - O Evangelho Segundo o Espiritismo

ABERTURA - AGRADECIMENTO
PRECE DO ALUNO

QUE DEUS ABENÇOE NOSSOS BONS PROPÓSITOS,
QUE JESUS NOS ENVOLVA NO SU AMOR E PAZ,
E QUE OS AMIGOS ESPIRITUAIS,
QUE DIRIGEM ESTE TRABALHO,
NOS APOIEM E FORTALEÇAM,
GUIANDO NOSSO PENSAMENTO E ORIENTANDO NOSSAS PALAVRAS.

OBJETIVO DO ESTUDO

ALERTAR         }
RELEMBRAR  }  Para a necessidade de aproveitar bem o nosso TEMPO / ENCARNAÇÃO
DESPERTAR    } 

Conscientizar de que, DEVEMOS valorizar as OPORTUNIDADES do nosso AGORA.

MOTIVO DA ESCOLHA DO TEMA

A FARTA LITERATURA ESPÍRITA SOBRE O TEMA - Nos chamando para o trabalho de REFORMA ÍNTIMA - TRABALHO NO BEM e o de HONRAR OS COMPROMISSOS ASSUMIDOS.

Uma experiência pessoal vivida há aproximadamente 8 anos.

<>

Como estamos lidando com o tesouro do nosso tempo ?

De que forma, um outro tesouro, que é conhecer a Doutrina Crista-Espírita está nos auxiliando a aproveitar melhor o nosso tempo ?

ESTAMOS NO DIA 26/04/2013

QUATRO MESES DE 2013 JÁ SE PASSARAM

Como estão nossas promessa de ANO NOVO ?

As fáceis, difíceis e mais difíceis de serem colocadas em prática.

<>

MENSAGEM DO LIVRO VINHA DE LUZ - 169

ENQUANTO É HOJE

"Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos
corações." - Paulo. (HEBREU 5, 3:15.)

Encarecer a oportunidade de regeneração espiritual na vida física nunca será
argumento fastidioso nos círculos de educação religiosa.

O corpo denso, de alguma forma, representa o molde utilizado pela compaixão
divina, em nosso favor, em grande número de reencarnações, para reajustar nossos
hábitos e aprimora-los.

A carne, sob muitos aspectos, é barro vivo de sublime cerâmica, onde o Oleiro
Celeste nos conduz muitas vezes, à mesma forma, ao calor da luta, a fim de aperfeiçoarmos o veículo sutil de manifestação do espírito eterno; entretanto, quase sempre,
estragamos a oportunidade, encaminhando-nos para a inutilidade ou para a ruína.
Dentro do assunto, porém, a palavra de Paulo é valiosa e oportuna.

Enquanto puderes escutar ou perceber a palavra Hoje, com a audição ou com a
reflexão, no campo fisiológico, vale-te do tempo para registrar as sugestões divinas e
concretizá-las em tua marcha.

Para o homem brutalizado a morte não traz grandes diferenças. A ignorância passa
o dia na impulsividade e a noite na inconsciência, até que o tempo e o esforço individual
operem o desgaste das sombras, clareando-lhe o caminho.

Aqui, todavia, nos referimos à criatura medianamente esclarecida.

Todos os pequenos maus hábitos, aparentemente inexpressivos, devem ser muito
bem extirpados pelos seus portadores que, desde a Terra, já disponham de algum
conhecimento da vida espiritual, porque um dos maiores tormentos para a alma
desencarnada, de algum modo instruída sobre os caminhos que se desdobram além da
morte, é sentir, nos círculos de matéria sublimada, flores e trevas, luz e lama dentro de si
mesma.

<>

NARRATIVA DA EXPERIÊNCIA DE 'QUASE MORTE'

REFLEXÕES SOBRE COMO APROVEITAR BEM A NOSSA ENCARNAÇÃO.

Página em fase de complementação




segunda-feira, 22 de abril de 2013

DIA DA TERRA - AS NOSSAS OBRIGAÇÕES PLANETÁRIAS - 22/04

Imagem da Internet - blogdailha.org

Comemora-se no dia 22 de abril o DIA DA TERRA. No link da Wikipédia você pode obter informação completa sobre o que aconteceu para que essa DATA fosse criada, e qual a sua importância para o PLANETA TERRA.

De O LIVRO DOS ESPÍRITOS - Trazemos os seguintes esclarecimentos com respeito as nossas obrigações e compromissos planetários, fazendo bom uso dos recursos naturais e respeitando todas as formas de vida.


CAPÍTULO V

DA LEI DE CONSERVAÇÃO
Necessário e supérfluo


Perg. 705 - Por que nem sempre a terra produz o suficiente para fornecer o necessário ao homem ?´


Resp. - "O homem a negligencia por ingratidão e, no entanto, a terra continua sendo uma excelente mãe. Além disso, ele ainda acusa a natureza por sua própria imperícia ou imprevidência. A terra produziria sempre o necessário se o homem soubesse se contentar. Se o que produz não é bastante para todas as necessidades, é porque emprega no supérfluo o que deveria utilizar no necessário. Observai o árabe no deserto: encontra sempre com o que viver, porque não cria necessidades artificiais. Porém, quando a metade da produção é desperdiçada para satisfazer fantasias, deve o homem se espantar de não encontrar nada em seguida? E terá razão de se queixar por estar desprovido quando chega a época da escassez? Na verdade, não é a natureza que é imprevidente, é o homem que não sabe regrar sua vida".

<><><><><><><>


Sejamos social e espiritualmente responsáveis.


Perg. 717 - Que se há de pensar dos que açambarcam os bens da Terra para se proporcionarem o supérfluo, com prejuízo daqueles a quem falta o necessário ?

cResp. - “Olvidam a lei de Deus e terão que responder pela privações que houverem causado aos outros.”


Comentário de Allan Kardec: Nada tem de absoluto o limite entre o necessário e o supérfluo. A Civilização criou necessidades que o selvagem desconhece e os Espíritos que ditaram os preceitos acima não pretendem que o homem civilizado deva viver como o selvagem. Tudo é relativo, cabendo à razão regrar as coisas. A Civilização desenvolve o senso moral e, ao mesmo tempo, o sentimento de caridade, que leva os homens a se prestarem mútuo apoio. Os que vivem à custa das privações dos outros exploram, em seu proveito, os benefícios da Civilização. Desta têm apenas o verniz, como muitos há que da religião só têm a máscara.

Conheça a Doutrina Espírita -Ciência - Filosofia e Religião



Comece pelo "começo" - Leia O LIVRO DOS ESPÍRITOS e O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO. Obras BÁSICAS de Allan Kardec.







quinta-feira, 18 de abril de 2013

18 DE ABRIL - 1857 / 2013 - 156 ANOS DE O LIVRO DOS ESPÍRITOS - ALLAN KARDEC

156 ANOS

A primeira obra da Doutrina Espírita, verdadeiro marco da Codificação.


Fora da Caridade não há salvação. Caridade no sentido amplo da palavra. Material, moral e espiritual. Incorporando valores como fraternidade, solidariedade, amor.

domingo, 31 de março de 2013

ALLAN KARDEC - 144 ANOS DE RETORNO À PÁTRIA ESPIRIRUAL - 1869 - 2013


segunda-feira, 30 de março de 2009

Título original da Matéria

ALLAN KARDEC - 140 ANOS DE RETORNO À PÁTRIA ESPIRITUAL

1869 - 31 DE MARÇO - 2009

No dia em que se completam 140 anos ( 144 anos ) do falecimento desse que é chamado o CODIFICADOR da Doutrina Espírita, Allan Kardec, o BONDeblog presta sua homenagem a esse vulto da humanidade, publicando sua biografia e chamando ao debate os leitores do blog, sobre os fundamentos dessa Doutrina/Religião

ALLAN KARDEC

Hippolyte Léon Denizard Rivail nasceu em Lyon, França, em 3 de outubro de 1804. Estudou em Yverdun (Suíça) com o célebre Johann Heinrich Pestalozzi, de quem se tornou um eminente discípulo e colaborador. Aplicou-se à propaganda do sistema de educação que exerceu tão grande influência sobre a reforma dos estudos na França e na Alemanha. Lingüista insigne, falava alemão, inglês, italiano, espanhol e holandês. Traduziu para o alemão excertos de autores clássicos franceses, especialmente os escritos de Fénelon (François de Salignac de la Mothe).

Rivail, o educador

Fundou em Paris – com sua esposa Amélie Gabrielle Boudet – um estabelecimento semelhante ao de Yverdun. Escreveu gramáticas, aritméticas, estudos pedagógicos superiores; traduziu obras inglesas e alemãs. Organizou, em sua casa, cursos gratuitos de química, física, astronomia e anatomia comparada.
Membro de várias sociedades sábias, notadamente da Academia Real de Arras, foi premiado, por concurso, em 1831, com a monografia Qual o sistema de estudo mais em harmonia com as necessidades da época? Dentre as suas obras, destacam-se: Plano apresentado para o melhoramento da instrução pública (1828); Curso prático e teórico de aritmética (1829, segundo o método de Pestalozzi); e Gramática francesa clássica (1831).

Kardec, o codificador

Foi em 1854 que o Prof. Rivail ouviu falar das mesas girantes, fenômeno mediúnico que agitava a Europa. Em Paris, ele fez os seus primeiros estudos do Espiritismo. Aplicou à nova ciência o método da experimentação: nunca formulou teorias pré-concebidas, observava atentamente, comparava, deduzia as conseqüências; procurava sempre a razão e a lógica dos fatos. Interrogou os Espíritos, anotou e ordenou os dados que obteve. Por isso é chamado Codificador do Espiritismo. Os autores da Doutrina são os Espíritos Superiores. A princípio, Rivail objetivava apenas sua própria instrução. Mais tarde, quando viu que tudo aquilo formava um conjunto e tomava as proporções de uma doutrina, decidiu publicar um livro, para instrução de todos. Assim, lançou O Livro dos Espíritos em 18 de abril de 1857, em Paris.

Adotou o pseudônimo Allan Kardec a fim de diferenciar a obra espírita da produção pedagógica anteriormente publicada.Em janeiro de 1858, Kardec lançou a Revue Spirite (Revista Espírita) e fundou a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Em seguida, publicou O que é o Espiritismo (1859), O Livro dos Médiuns (1861), O Evangelho segundo o Espiritismo (1864), O Céu e o Inferno (1865) e A Gênese (1868). Kardec faleceu em Paris, em 31 de março de 1869, aos 64 anos, em razão da ruptura de um aneurisma. Seu corpo está enterrado no cemitério Père Lachaise, na capital francesa.

Seus amigos reuniram textos inéditos e anotações de Kardec no livro Obras Póstumas, que foi lançado em 1890.
Nota da FEB: A biografia de Allan Kardec escrita por Henri Sausse é clássica. É publicada pela FEB no livro Obras Póstumas. Mas essa biografia contém algumas informações que não são confirmadas. Uma dessas informações, por exemplo, é a de que Allan Kardec teria sido médico. Pesquisas posteriores demonstraram que ele foi professor de Anatomia. Entretanto, isso em nada diminui o valor dessa bela biografia de Kardec. Até o momento, a mais completa biografia do Codificador do Espiritismo é o livro “Allan Kardec – O Educador e o Codificador”, de autoria de Francisco Thiesen e Zêus Wantuil, editada pela FEB.

Para muitos espíritas, Francisco Cândido Xavier e Allan Kardec são o mesmo espírito, encarnados em épocas diferentes, visando dar prosseguimento a tarefa de divulgação e consolidação da Doutrina Espírita, sob a égide cristã.

Biografia extraída do Site da Federação Espírita Brasileira

Matéria transcrita do 007BONDeblog
Título com data alterAda e atualizada c/ autorização do autor

Um fraterno abraço
*********

COMUNICADO

COMUNICADO